Notícias

Leia mais:Comarca de Lages, ao arrecadar 300 livros, incrementa projeto “Despertar pela Leitura”

A campanha para arrecadação de livros na comarca de Lages, na serra catarinense, durou um mês. Nesse período chegaram cerca 300 obras de diversos tipos textuais. Quase um terço deles foram para as prateleiras da biblioteca do projeto “Despertar pela leitura”, do presídio regional de Lages.

A professora Andreia Regina Silva, que executa as atividades na unidade prisional, fez a triagem dos livros recebidos. Ela separou os que usará com os reeducandos, outros para escolas, estudantes de direito e para quem lê obras espíritas. O acervo do projeto será renovado com romance, aventura, biografias e autobiografias, entre outros.

No " Despertar pela leitura", cada obra lida possibilita a remição de quatro dias da pena, com limite de 12 obras ao ano. Essa redução é um estímulo a mais para que os apenados leiam e estudem. Há cinco na atividade, a professora Andreia diz que é raro quem não quer participar. "E eles adquirirem o gosto pela leitura. Começam lendo livros com poucas páginas e logo estão com livros bem mais robustos".

Para Andreia, essa é uma prática que pode ser transformadora. "Acredito que há duas forças que podem mudar o ser humano. Uma delas é Deus, a outra, é a leitura. A mudança genuína é aquela que vem de dentro para fora". E não é somente o apenado do projeto que gosta de ler na unidade. Os agentes penitenciários também frequentam a biblioteca. "Isso é bom porque além de se tornarem leitores, motivam os reeducandos a lerem".

O desejo de virar as páginas dos livros também chegou ao Fórum da comarca de Lages. A caixa de coleta ficou na entrada principal do prédio onde todos passam. Alguns servidores paravam para deixar, outros para pegar, ver o que tinha nas obras e até parar alguns minutos para ler.

Essa foi a primeira campanha promovida na comarca com esta finalidade. A experiência contou com a participação dos servidores, advogados e colaboradores de outras unidades. A biblioteca do Tribunal de Justiça também contribuiu com alguns exemplares. “A ação trouxe resultados positivos. O número de doações foi muito bom para uma ação inicial. Atingimos o objetivo de fazer os livros circularem entre as pessoas, incentivar a leitura e fomentar o conhecimento”, frisa a chefe de secretaria, Yonara Zeschau Schimitz Silva.

Leia mais:SAP ativa 120 novas vagas no Presídio Regional de Joinville

A Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP) e o Departamento de Polícia Penal (DPP) ativaram, na manhã desta segunda-feira (06), 120 novas vagas do Presídio Regional de Joinville, todas destinadas a atender os internos da unidade. Desta forma o Presídio passa a ter 650 vagas.

De acordo com o Secretário Adjunto da SAP, Valdecir Souza dos Santos, a previsão é de que nos próximos 90 dias, outras 250 vagas sejam abertas com a conclusão de mais dois novos prédios. “Nossa meta é elevar a capacidade para 900 vagas, melhorando os níveis de ocupação da unidade”, disse o Secretário-Adjunto. Atualmente há 1,1 mil apenados na unidade.
O Diretor do Presídio Regional de Joinville, Wellinton dos Santos Lima, destacou todas as vagas foram ocupadas por internos da unidade. “Desta forma conseguimos melhorar a segurança e o atendimento às necessidades dos internos”, finalizou.

Para a movimentação dos internos, a Superintendência de Segurança e Operações (Seop) contou com o apoio dos policiais penais do plantão, Grupo Tático de Intervenção (GTI) e Superintendência da Regional Norte.
O ato que oficializou a abertura das novas vagas contou com a presença do Juiz Corregedor de Joinville, João Marcos Buch; da Promotora Bárbara Heise; da Defensora Pública, Fernanda Aparecida Rocha Silva de Menezes; do represente da OAB, Guilherme Pereira; da Tesoureira OAB Joinville, Kathleen Zago Appi Lótici, além dos superintendentes de Segurança e Operações. Robson de Oliveira e do Superintendente da Regional Norte Juliano Stoeberl, ambos do DPP.

Leia mais:SAP ativa 120 novas vagas no Presídio Regional de Joinville

Leia mais:Apenadas da Penitenciária de Criciúma participam de curso de artesanato

As apenadas da Penitenciária de Criciúma estão participando de aulas de artesanato. Desde a semana passada, uma monitora do Clube de Mães da Associação Feminina Assistência Social de Criciúma (Afasc) está ensinando as internas a desenvolver novas habilidades. “Essas atividades despertam os talento das internas que muitas vezes usam as peças produzidas para expressar seus sentimentos”, observou a Diretora da Penitenciária, Bárbara Santos de Souza.

A Superintendente da Regional Sul, Maira Montegutti, elogiou a iniciativa. “São parcerias como essas que mostram que estamos no caminho certo, ao oferecer às internas a possibilidade de treinar e descobrir novas habilidades”, destacou Maira Montegutti.

Durante a aula inaugural, a Presidente de Honra da Afasc, Adriana Salvaro e a Presidente do Conselho Administrativo, Robinalva Ferreira, entregaram os kits de artesanato que serão utilizados durante o curso. “É muito importante que as pessoas aprimorem seus conhecimentos, buscando alternativas de aprendizagem. Temos em nossas mãos um grupo que já é talentoso e que tem vontade e curiosidade de aprender”, disse.

Leia mais:Apenadas da Penitenciária de Criciúma participam de curso de artesanato

De acordo com Adriana, a Afasc preparou uma oficina com qualidade técnica para despertar o interesse das internas em conhecer algo novo.
Assim que elas viram as peças, já mostraram seu encanto. Acredito que essa será uma parceria de sucesso, tanto para nós, quanto para a equipe da penitenciária”, destacou Adriana Salvaro.

Departamento de Polícia Penal

Rua Fúlvio Aducci, 1214, 6ª andar - Estreito

Florianópolis - SC - CEP 88.075-000.

Telefone: (48) 3665 7310  - Horário de atendimento das 12:00 às 19:00 horas.

JSN Boot template designed by JoomlaShine.com